terça-feira, 10 de janeiro de 2012

Por Quê? Dicas de Leitura.

Autor: Miguel Lucas

Blog do Autor | Artigos do Autor: Miguel Lucas Licenciado em Psicologia, exerce em clínica privada. É também preparador mental de atletas e equipas desportivas, treinador de atletismo e formador na área do rendimento desportivo. É autor da Escola Psicologia.

Por Quê? Reiniciar a vida: Deixar de fazer auto sabotagem.

 Reinicie a sua vida: Deixe de fazer auto sabotagem
Muitos podem ser os motivos que nos obrigam a tentar de novo algo que na primeira tentativa não fomos bem sucedidos, ou até mesmo comprovarmos que o caminho que tomámos não nos conduziu ao lugar desejado. Enquanto humanos que somos, e na posse de uma motivação orientada, podemos tentar de novo. Você pode encontrar-se num momento da sua vida onde começar de novo é imperativo. Provavelmente os acontecimentos de vida empurraram-no para a situação em que se encontra, talvez você tenha feito algumas asneiras que contribuíram para o seu estado. Independentemente da causa, ou das adversidades  de vida que enfrenta, existe a possibilidade de tentar novamente. Existe a possibilidade de perceber que pode reiniciar a sua vida.
O seu passado pode ser muito marcante, incisivo e perturbador, e propor-se a reorientar a sua vida pode parecer difícil de fazer. Acredito que sim. Acredito que pode encontrar-se num estado de dúvida, incerteza, com muita ansiedade, preocupação, sentido-se desesperado e até mesmo desesperançado no seu futuro. Todos esses sentimentos por certo são legítimos. No entanto, importa fazer algumas perguntas a si mesmo:
  • “Como é que me quero sentir no futuro?”
  • “O que é que eu quero para mim”
  • “Quais são os meus objetivos? (Os sentimentais, profissionais, de relacionamento, financeiros, e outros…)
Arrisco a responder algumas possibilidades:
  • “Quero sentir-me bem, realizado, boa auto estima e com confiança em mim e no futuro.”
  • “Quero uma vida tranquila, com conforto e bem estar, sentir-me vivo e de bem com a vida.”
  • “Quero ser feliz, alegre, motivado, bem disposto, ter sucesso no meu trabalho, amar e ser amado, ter dinheiro para pagar as minhas despesas.”
Ótimo. Fez questões às quais conseguiu dar resposta. E mais importante que tudo, essas perguntas e respostas, permitem orientar a sua vida de acordo com aquilo que deseja para si. Agora só tem de pegar nisso e dar um impulso na sua vida. Dar um novo e renovado impulso, reiniciando a sua vida. Mas, para que esse reinicio possa constituir uma nova forma de olhar a sua vida, importa desfazer alguns equívocos que podem ter estado a fazer sabotagem aos seus objetivos.
Apresento em seguida alguns equívocos ou ideias que provavelmente foram-se enraizando na sua estrutura mental. Essas ideias passaram a ser falsas verdades que lhe retiram ânimo, toldaram-lhe o pensamento e impossibilitaram a elaboração de decisões acertadas de acordo com os seus objetivos pretendidos.
De uma vez por todas, você deve derrotar essas falsas verdades (crenças limitadoras) para colocar-se com uma atitude positiva antes de reiniciar a sua vida.

EU NÃO CONSIGO FAZER ISSO

Esta é uma afirmação comum. É uma afirmação simples, banal e muito refutada por grandes líderes, em livros de auto-ajuda, por palestrantes motivacionais, e mesmo pelo comum dos mortais. Aparece muitas vezes referenciada em Slogan de campanhas publicitárias, como foi a campanha de Barack Obama, “Yes, we can“. Apesar de existir uma corrente que transmite esperança, e que contraria a afirmação negativa: “Eu não consigo fazer isso“. O que é certo, é que muitos de nós nos momentos de contrariedade e dificuldade da nossa vida, generalizamos essa afirmação para grande parte das coisas, e até mesmo para a própria vida.
Marterizamo-nos e vitmizamo-nos:
  • “Eu nunca mais vou encontrar a pessoa certa.”
  • “Eu nunca mais serei feliz”
  • “A minha vida nunca mais vai sair deste buraco”
  • “Nunca serei capaz de passar o exame de matemática”
  • “Nunca ganharei o suficiente para ter aquilo que gostaria”
  • “Eu não consigo enfrentar o meu patrão”
O que você pensa acerca de si mesmo é realmente poderoso. Se você acha que não pode, que não consegue ou que nada de bom lhe irá acontecer, então provavelmente nesse estado de incapacidade nunca irá encontrar motivação e uma solução para fazer algo que permite reverter esses pensamentos negativos.
Henry Ford disse: “Se você acha que pode, ou você acha que não pode, você está certo”

sabotagem interior

EU ACABO SEMPRE FAZENDO ASNEIRAS

Se no presente momento está insatisfeito com a sua vida, existe uma forte possibilidade de ter construindo ao longo do tempo esta afirmação negativa na sua mente. Claro que este pensamento é legítimo. Mas, por certo não é animador, pelo contrário, retira-lhe forças e credibilidade em si mesmo. Se não é útil, porque razão ele ecoa na sua cabeça? Isto acontece, porque o nosso cérebro é forçado a encontrar respostas. E em última instância dirigimos a atenção para nós mesmos, e culpabilizamo-nos. Sim, na verdade você até pode ser o responsável pelo estado em que se encontra. Mas, construir uma ideia negativa acerca de si mesmo, e “confortavelmente” conviver com isso, não é por certo uma estratégia benéfica.
Então que fazer?
  • Perceba onde, como e porquê fez a asneira?
  • O que fazer, para não voltar a acontecer?
  • O que aprendeu com a asneira?
  • O que essa asneira lhe diz acerca da forma como você pensa?
  • O que precisa mudar no seu pensamento e forma de olhar para si, para que a asneira não se repita?
  • Quer continuar a fazer a asneira?
Se conseguir responder a estas questões, por certo irá ficar mais esclarecido. Com esse esclarecimento em mente, abandone a ideia depreciativa que tem de si mesmo. Essa ideia que de certa forma trás conforto, também tem o reverso da medalha. Quando você percebe que pode mudar algumas coisas para ser bem sucedido, mas que é necessário trabalhar, investir em si e esforçar-se, fica mais fácil verbalizar algo que justifica muita coisa menos boa que lhe acontece. Não se iluda mais, aceite essas asneiras, mas não se confunda nem se funda a elas. Você não é as suas asneiras. Você é aquele que percebe as asneiras que faz, e que tem a possibilidade de arranjar uma forma de evitar que isso volte a suceder. Não use mais uma afirmação que se encaixa no seu momento menos bom, mas que paralisa-lhe a mente na procura de soluções. Se esta afirmação não lhe é útil, não lhe serve, deixe simplesmente de verbalizá-la.

NADA ACONTECE DO JEITO QUE EU QUERO

Esta é uma mentalidade de vítima que você deve abandonar imediatamente. Não há problema em sentir pena de si mesmo no começo do processo de procura de entendimento e justificação para o momento que atravessa. Você pode e deve chorar a sua perda, indignação ou frustração. Mas, de modo bastante breve. Depois você precisa ​​levantar-se, sacudir a mágoa do passado e seguir em frente. A vida não está contra si. Acreditar que sim, só irá fazer com que se afunde ainda mais no seu desespero (do qual você não irá escapar se ficar nesse estado por muito tempo).
As coisas podem ter sido difíceis e o resultado não foi o esperado. Por vezes temos de encarar o lado oculto da felicidade. Inevitavelmente, as adversidades surgem no nosso caminho, experimentamos o sabor do outro lado da conquista, do desafio, do êxtase, da alegria e satisfação. O lado mais sombrio da  felicidade enraiza-se no sofrimento, no fracasso, na perda, na dificuldade, na injustiça, na tristeza e angústia de tudo o que nos impele ao sofrimento e consecutivamente a mudar crenças limitadoras.
Mas o que aconteceu até agora, não quer dizer que continue a acontecer. Se assim fosse nada mudava, nada melhorava, a vida seria estática. Nada pode estar mais longe da verdade. A vida é fluída, a vida não pára. Se assim é, e com este pensamento em mente, perspetive algo de melhor para si. Retire-se da sombra dos seus pensamentos negativos. Pense como gostaria que as coisas funcionassem para si. Agora acrescente-lhe uma pitada de esperança. Em seguida apoie essa esperança, seja o braço direito da sua esperança renovada. Motive a sua esperança, dei-lhe suporte, energia, alimente-a através da ação. Faça coisas orientadas pelo pensamento positivo. Desafie-se a ser bem sucedido!

NÃO VALE A PENA SEGUIR OS MEUS SONHOS

Todos merecemos a oportunidade de buscar a satisfação na nossa vida. Mas, por vezes, pouco a pouco, devido à interpretação dos acontecimentos negativos do nosso passado, emerge uma desmotivação. A descrença instalada constrói a percepção que não vale a pena seguir os seus sonhos e desejos. Esta ideia é suportada por uma mecanismo de defesa. Não nos propomos a seguir os sonhos, para evitar a dor e o sofrimento que julgamos vir a sentir com mais uma futura desilusão. Com base na mágoa do passado e uma descrença no futuro, comprova a teoria que é preferível não correr atrás do que é bom para si. Este até parece ser um pensamento lógico. De certa forma é, tal como já referi, funciona como uma proteção à possível desilusão, derrota e fracasso. É, no entanto uma crença tóxica, desadequada e destruidora.
Perante uma crença tão incapacitante, a pessoa caminha num eterno vazio. A forma de restabelecer a sua motivação, força e energia para propor-se a acreditar que vale a pena seguir os seus sonhos, é orientando-se por aquilo que quer e não por aquilo que sente. Perante uma conclusão negativa, o sentimento é igualmente negativo, e nesse estado as suas perspetivas são olhadas mediante essa realidade sentida. Para reverter o processo é necessário imaginar o que sentiria ao alcançar o que deseja. Foque-se naquilo que quer alcançar e no que sentiria quando isso se tornar realidade. Depois, na posse desse sentimento, faça coisas que o aproximem dos seus sonhos.

EU TENHO DE CASTIGAR QUEM ME PREJUDICOU

Às vezes, quando uma pessoa tem que começar de novo, sente-se a necessidade de vingança em relação a parte (ou partes) que podem ter contribuído para a sua situação atual. Isto é completamente inútil. Não me estou a remeter para questões jurídicas. Isso tem de ter outro tipo de abordagem. Refiro-me à normal interação do dia a dia da vida de cada um de nós. Na verdade, é inteiramente contraproducente e um desperdício total de tempo focar a sua atenção e energia em algo que vai alimentar ainda mais o seu estado de negatividade, e eventualmente criar mais problemas
Supere isso. Deixe isso partir. Limpe a sua mente de todo esse absurdo. Alimentar o fúria só irá fazer aumentar a sua ansiedade, contribuindo para o seu mal estar. A fúria e a raiva, são sentimentos que por vezes lhe transmitem capacidade. Isto acontece devido à grande libertação de energia e ímpeto, impele-o para a ação. Mas esta é uma ação que em nada contribui para a solução e realinhamento de vida.
Importa reverter todo esse ímpeto para a construção de percursos de ação positivos e que estejam alinhados com os objetivos pretendidos para a sua vida, dentro de uma perspetiva de auto realização. Foque-se em si, gaste a sua energia consigo.
sabotagem pessoal

EU NÃO CONSIGO O QUE QUERO POR CAUSA DA ECONOMIA

Este é um pensamento que tem vindo a ser difundido na atualidade. A grande maioria da pessoas parece querer culpar  qualquer circunstância ruim na sua vida apontado o dedo à crise económica. A realidade é que os fatores externos raramente são obstáculos intransponíveis, somos nós que fazemos isso acontecer. Obviamente que a economia tem um peso relativo no nosso sucesso, assim como muitas outras coisas têm. Temos que ter uma atenção redobrada, quando todo mundo está em estado de alerta relativamente à economia, podemos ter uma tendência para generalizar isso aos problemas que enfrentamos, e arranjamos uma boa desculpa para não fazermos nada.
Normalmente, inibimos a mudança e deixamos de adaptar-nos às novas realidades que nos rodeiam. Você pode ter de fazer as coisas um pouco diferentes. Você precisa colocar um olhar novo numa velha ideia. Você pode ter que fazer ajustes, tanto pessoais quanto profissionais, mas ainda assim pode sobreviver e até prosperar nesta economia ou noutra qualquer. Não deixe que essa avalanche dramática e estado de pânico geral impossibilite fazer aquilo que ainda é possível ser feito.

EU SÓ TENHO DE TER MUITA CALMA

Finalmente, quando confrontado com começar de novo, você pode ter tendência para procrastinar. A razão para que isso possa acontecer, é por arranjar desculpas para si mesmo. Por exemplo, você pode agarrar-se à falsa justificação que já passou por muita coisa ultimamente e merece ter calma por algum tempo. Embora seja geralmente uma boa ideia para “refrescar” depois de uma grande mudança de vida e antes de fazer qualquer grande decisão, não deixe que isso se torne num impedimento. As suas oportunidades de começar de novo, certamente surtirão maior efeito agora. Quanto mais você esperar, mais difícil será conseguir-se reverter a situação em que se encontra. Não deixe que o medo, mentiras e desculpas possam retê-lo.
As coisas até podem ir com alguma calma, mas passo a passo. Quer dizer, que mesmo lentamente você está a movimentar-se, está a fazer coisas para ir ao encontro do que pretende alcançar. Aguardar, é ficar parado. Fazer as coisas com calma, deve ser considerado, lentamente, pouco a pouco fazendo algo.

DEIXE DE FAZER AUTO SABOTAGEM E REINICIE A SUA VIDA

Reiniciar sua vida não é fácil. A primeira batalha que você tem que ganhar está na sua própria cabeça. A forma mais capacitadora que acredito surtir efeito é tendo uma atitude positiva, e implementar o pensamento positivo na sua vida, acabando com a auto sabotagem. Estas sabotagens como podemos verificar, estão mascaradas e enraizadas por um conjunto de desculpas sem sentido, que criam uma imagem negativa de si mesmo. O seu cérebro tende a acreditar em tudo o que ouve, ou que você verbaliza para si mesmo. Se você pode abolir o diálogo auto crítico da sua mente e substitui-lo por mensagens de incentivo, reconfortantes e que puxem por si, então você estará construindo um caminho para derrotar essas sabotagens  e criar uma nova forma de olhar a vida.

RESUMINDO

Na grande maioria da vezes perante a constante auto sabotagem da nossa vida, percebemos o que está acontecendo, numa fase muito avançada do problema. Isto acontece devido à dificuldade de mudar hábitos e rotinas de pensamento instituídas que minam a mudança de perspetiva. Numa situação de caminhar na sua vida em piloto automático, tudo parece natural, até mesmo a forma como aceita as suas debilidades, incapacidades e asneiras. Neste estado de aceitação confuso, funde-se a uma imagem depreciativa de si mesmo, comprovada pelo seu diálogo auto-crítico negativo.
A sua própria forma de pensar, suga-lhe a vida. Essa negatividade instalada é como uma erva daninha a crescer no quintal da sua casa, propaga-se rapidamente e toma o espaço só para ela.  Mata a esperança e a oportunidade para a mudança.
Você precisa de um novo caminho para sair dessa  forma de pensamento negativo que instituiu na sua rotina diária. E esse caminho pode construir-se na forma de uma pergunta:
“Se você continuar a seguir os mesmos padrões, quais são as chances de vir a alcançar as coisas que você quer e tornar-se na pessoa que espera ser?”
Arrisco a dizer que as suas hipóteses são extremamente reduzidas. Nenhum de nós escreve uma história de vida mais enriquecida sem uma mudança no padrão de ação. Abandone o seu círculo de hábitos de auto sabotagem. Reinicie a sua vida, tendo noção que deve eliminar as falsas verdades que foi construindo e que durante muito tempo orientaram as suas decisões. Acredite em si. Faça coisas que suportem a crença que tem em si. Torne-se no seu maior aliado. Invista na sua vida, você é o seu maior accionista.
Abraço

Por Quê? Dicas e estratégias para potenciar a sua motivação em qualquer circunstância.

 Dicas e estratégias para potenciar a sua motivação em qualquer circunstância.

Se você quiser fazer as coisas acontecerem, a capacidade de motivar-se a si mesmo e aos outros é uma habilidade crucial. No trabalho, em casa, e em tudo o resto, as pessoas usam a motivação para obter os resultados desejados.  A motivação requer um equilíbrio delicado entre a comunicação consigo mesmo, a sua estrutura de personalidade e incentivos externos. A motivação é, literalmente, o desejo de fazer as coisas. É o elemento crucial na definição e execução de metas. O mais extraordinário e capacitador é que você pode influenciar os seus próprios níveis de motivação e auto controle. Para que a motivação possa ser canalizada com eficácia e objetividade é necessário descobrir o que você quer, apoiar-se a si mesmo no processo, e começar a ser quem você quer ser.
Já alguma vez disse a si mesmo que queria fazer algo, mas depois nunca deu o passo em frente? Talvez você quisesse perder alguns quilos, parar de fumar ou encontrar um emprego melhor. Às vezes você não termina o que iniciou, ou talvez  mesmo não comece algo que desejava, porque não sabe exatamente o que quer, por onde começar ou não acredita em si mesmo. Então, há momentos em que o seu humor ou sentimentos sobre as coisas impedem-no de prosseguir. É como se o seu diálogo interno auto crítico matasse a sua motivação.

A MOTIVAÇÃO É UM IMPULSIONADOR PARA O SUCESSO

A motivação é vital se você quiser ter um bom desempenho. Esta força, intenção, energia, vontade ou aquilo que você lhe possa chamar vem de dentro, tem de pertencer-lhe e viver dentro de si. Ninguém vai ser capaz de influenciá-lo se você for resistente, por isso, a motivação é algo que depende de você próprio.  Quero dizer-lhe que é possível aprender a criar e a manter o impulso durante tempos difíceis que eventualmente esteja a enfrentar. Você é a força motriz capaz de manter-se no caminho para o êxito, as outras pessoas podem ajudar, mas no final você detém o poder. Se não aprender como caminhar durante os tempos difíceis, e a enfrentar de forma tenaz as adversidades e os contratempos da vida, terá perdido antes mesmo de começar.
Às vezes, a motivação é temporária ou completamente inexistente. Você pode ter-se sentido animado para começar alguma coisa, pode ser que até tenha feito algumas coisas para depois passado algum tempo acabar por desistir.

Em seguida, apresento algumas estratégias que vão permitir trabalhar a sua motivação e perceber como mantê-la e potenciá-la:

motivar

PRIORIZAR E FOCAR-SE OBJETIVAMENTE

Por vezes, a falta de motivação emerge da percepção de uma vida sobrecarregada. O stress faz-se sentir de forma desmedida e intensa, chegando ao ponto da nossa capacidade de resposta ser inferior aos desafios e tarefas que temos entre mãos. Provavelmente muitas coisas estão acontecendo ao mesmo tempo, vamos sentindo o desanimo quando os nossos esforços não chegam para a resolução dos problemas. Instala-se a frustração e a confusão mental. Perdemos o nosso foco naquilo que devemos dar prioridade e sentimos dificuldade em organizar o dia a dia.
Perante semelhante cenário, a indignação vai crescendo, quanto mais esforço se faz pior nos sentimos. Então o que pode ser feito? Você precisa descobrir o que é mais importante e focar-se nesse objetivo. Depois de concluída essa tarefa ou resolução do problema, deverá passar para o próximo.
Isto parece óbvio, mas a maioria das pessoas não pensa muito sobre o assunto.  É claro que numa situação de ausência de motivação, é muito difícil arranjar força para fazer algo. Mas, então como pode você propor-se a fazer algo se não se sente motivado? Não deve movimentar a sua vontade pelo sentimento presente, mas sim pela ideia daquilo que pretende alcançar. Para facilitar este processo deve ter em mente que existe a possibilidade de vir a ser bem sucedido (ver os benefícios do objetivo na sua mente). Depois, é apenas uma questão de focar a sua energia nos passos e processo que o conduzirão ao resultado pretendido. Durante o processo pode ainda visualizar, e pensar sobre como você se sentirá depois de conseguir alcançar o seu objetivo. E, é com este sentimento que a sua motivação pode aumentar e mantê-lo firme e convicto no caminho do resultado pretendido.

DESAPEGAR-SE DO SEU SENTIMENTO DE INCAPACIDADE

Se você se encontra num estado abatido, sentindo-se deprimido, ansioso, desesperançado ou desesperado, provavelmente tem tendência para orientar o seu dia a dia por esses sentimentos negativos que lhe sugam a motivação, energia e força de vontade.  Ao focar-se nesses sentimentos pouco a pouco a sua mente perde a noção das possibilidades que existem e foca-se apenas num cenário catastrófico e desanimado.
Se você se encontra de alguma forma numa situação parecida, digo-lhe que é possível reverter o seu processo de raciocínio e passar a orientar-se por um sentimento que lhe dê esperança. Mas, então como é que isso se faz na prática? Você deve distanciar-se daquilo que nesse momento sente (refiro-me aos sentimentos e sensação que o colocam em baixo). Não deve querer deixar de sentir aquilo que sente. Não é isso que funciona. O que é útil e eficaz é, mesmo sentido-se mal, criar uma imagem mental daquilo que você quer, como gostaria de vir a sentir-se, e visualizar-se a fazer algo que permita atingir o que deseja.
Utilize o passo anterior para reorientar o seu foco, colocando-o em sentimentos positivos e construtivos que lhe transmitam capacidade, esperança e alegria. Para isso, faça uso da sua imaginação. A ferramenta para guiar a imaginação para onde pretende é a atenção através do seu poder de foco.

MANTER O SEU OBJETIVO POSITIVO EM MENTE

Quanto mais você pensar em algo positivo, melhor a chance disso tornar-se numa realidade. Mantenha o seu objetivo na vanguarda de sua mente. Se você quer que algo aconteça, como por exemplo sentir-se bem, deve perspetivar que coisas gosta de fazer que lhe dão prazer e satisfação. Em seguida deve focar-se nisso, ter isso presente na sua mente em forma de imagens.  Construa um conjunto de lembretes. Por exemplo, colocando palavras de incentivo agendadas no seu celular, ou escrevê-las numa folha e colocar na porta do seu quarto, pode relembrar-se antes de ir deitar-se e logo pela manhã antes de sair de casa. Se é algo que você quer que aconteça, deve orientar-se em consciência e não apenas por aquilo que sente (principalmente se forem sentimentos negativos que nessa altura prevaleçam). Faça um plano para dar um pequeno passo todos os dias no sentido  de aproximá-lo da realização. Estes pequenos lembretes e ações promovem a sua motivação. Não fique frustrado com o fato de isso ainda não ser uma realidade, no entanto, continue a focar-se no quão bom será quando lá chegar.

PROCURAR APOIO

Se o seu objetivo envolve a mudança, alteração de crenças e reestruturação de pensamentos, pode ser difícil fazê-lo sozinho. Alterar hábitos, formas de pensar e de olhar o mundo, quando se está numa situação de desanimo pode parecer impossível. Procure alguém, um grupo, um conselheiro, consultor, psicólogo que possam orientá-lo e fornecer-lhe informação mais detalhada sobre como pode ser mais eficaz, positivo e reaver esperança no futuro e em si mesmo. Querer fazer tudo sozinho e desapoiado pode vir a comprovar-se como uma estratégia ineficaz.  Você pode até conectar-se com alguém que já andou por caminhos semelhantes e perguntar-lhe que estratégias seguiu.

FOCAR-SE NO POSITIVO E NÃO NO DESTRUTIVO

O condicionamento cultural ensina-nos a sermos críticos, mas por vezes de forma exageradamente negativa. Não pense sobre as dificuldades, reconheça-as para que possa planejar adequadamente, mas não se concentre e fixe demasiado nelas. Essa seria a maneira mais simples de destruir a sua motivação. Foque-se no resultado e como isso irá beneficiá-lo. Se você está procurando um emprego, por certo deve focar-se no processo de entrevista, mas isso não deve impedi-lo de pensar  na possibilidade de ser bem sucedido. Dirija a sua energia para o que você quer que lhe aconteça, e para o processo que pode tornar isso realidade. Certamente a sua motivação irá aumentar e ajudá-lo a obter o que deseja.

DEIXAR DE FAZER O QUE O TEM IMPEDIDO DE CHEGAR ONDE PRETENDE

Estamos chegando perto do final de 2011. Provavelmente você pode sentir uma pontinha de tristeza, desilusão e frustração porque as promessas e objetivos que traçou para si no inicio do ano, desvaneceram-se, e a grande maioria pode ter ficado por completar, ou até pelo avançar dos meses tenha desistido de algumas. Importa então questionar-se:
  • Mas porque razão não consegui atingir os meus objetivos?
  • O que me mantém preso nos mesmo padrões incapacitantes? (exemplo: porque continuo incapaz de perder peso, ganhar mais dinheiro, encontrar o amor que realmente quero, ou fazer as outras inúmeras coisas para tornar-me feliz?)

motivação

Em seguida apresento quatro obstáculos que podem afastá-lo dos seus objetivos:

VOCÊ NÃO CLARIFICA BEM O QUE QUER

Talvez você até possa saber que quer ter mais amigos, ou quer ganhar mais dinheiro, ou quer começar um negócio. Você provavelmente tem pelo menos uma vaga ideia sobre o que pretende, mas já pensou cuidadosamente sobre o realmente quer, até ao último detalhe?
Um exercício que certamente irá clarificá-lo acerca do pormenores dos seus objetivos pretendidos é despender um tempo razoável respondendo a perguntas do género:
  • O que você quer?
  • Quem estará envolvido?
  • Que informação é necessário recolher?
  • Que coisas novas tem de aprender?
  • A que horas pretende levantar-se
  • Que esforço extra é necessário?
  • Quando pretende alcançar o objetivo?
  • Que recursos são necessário?
  • Que competências e habilidades tem de adquirir ou melhorar?
Estas questões estão de acordo com algumas das estratégias anteriormente referidas. Ao levantar estas questões, você vai ter de fazer uso da sua imaginação e do seu querer e não propriamente orientar-se por sentimentos de incapacidade. Quando você consegue colocar o “futuro nos seus sapatos“, começa a imaginar a vida a partir desse ponto de vista, com uma ideia real e concreta sobre o que você necessita trabalhar e aplicar-se. Os seus objetivos serão claros e você saberá exatamente o que quer e o que fazer para lá chegar.

VOCÊ NÃO TEM UM PLANO

Talvez você saiba o que quer muito bem. No entanto, se você não tem um plano devidamente estruturado, provavelmente nunca será capaz de alcançá-lo. Agir é primordial, mas se você está apenas a agir sem uma estratégia ou noção acerca daquilo que pode ser eficaz e necessário para atingir o que pretende, corre o riso de não estar fazendo progressos consistentes e constantes na direção do seu objetivo. Sem um plano, você até pode dar um passo que o coloca mais perto do que quer,  mas o próximo pode afastá-lo irremediavelmente.
Um exemplo comum disso é quando alguém tenta iniciar um blog na Internet. Muitos blogueiros novatos ficam seduzidos pela possibilidade de ganhar dinheiro “facilmente”. Tentam de tudo, saltando de ideias e oportunidades, querendo rapidamente  atingir resultados de excelência, comprovando num curto espaço de tempo que realmente não estão fazendo qualquer progresso.
A solução para isso é procurar informação credível ou estudar alguém que seja bem sucedido no que você deseja alcançar e seguir o mesmo plano para chegar lá. O sucesso deixa pistas, então siga-as e use-as para construir o seu próprio plano para guiá-lo no caminho que tem de percorrer. Se pretende construir um plano à medida dos seus desafios e objetivos, leia o artigo: Planificação e estratégias, duas armas para alcançar o sucesso.

VOCÊ NÃO TEM UMA ESTRUTURA MENTAL POSITIVA

Você provavelmente projeta o seu futuro baseado nos seus pensamentos negativos. Com este tipo de pensamentos em mente, deve concordar que torna-se difícil motivar-se para algo. Se ao longo do tempo devido a um conjunto de fatores começou a cristalizar um tipo de pensamento que o puxa para baixo, lhe retira capacidade olhando de forma pessimista para os seus objetivos, o seu campo de ação vai ficando restrito. Você pouco a pouco começa a retirar-se das coisas porque não consegue vislumbrar soluções satisfatórias. Tudo isto em grande parte devido à forma como estrutura os seus pensamentos.
Você pode precisar de tomar algumas ações para corrigir a situação. Deve esforçar-se por criar uma visão mais construtiva e positiva da vida. Reestruture a sua forma de pensar com o objetivo de maximizar as suas chances de sucesso. Pode aprender como criar uma estrutura mental positiva, lendo os artigos:

VOCÊ NÃO TEM A MENTALIDADE ADEQUADA

Por vezes o que impede muitas pessoas de encontrar o sucesso que querem é não ter a mentalidade adequada. Se você está querendo alcançar algo que está fora da sua zona de conforto, é importante perceber quais são as suas crenças limitadoras e alterá-las. Ter medo de  não ser bom o suficiente, dúvidas se você possui as habilidades necessárias, ou mesmo hesitações se aquilo que quer deve mesmo fazer, são comuns.
Importa que perceba, que de forma antecipada nunca saberá se irá ser bem sucedido. Desta forma o medo, receio e dúvidas devem servir apenas para você perceber que existe um grau de incerteza na obtenção daquilo que deseja e que deverá preparar-se o melhor que conseguir para ir ao encontro dos seus objetivos. O medo não deve servir como um paralisante da sua vontade.
Se você tem uma crença de que é muito tímido para convidar alguém para sair, então enfrente isso!  Melhore a sua confiança, trabalhe na sua auto estima, aprenda como iniciar uma conversa e convide alguém. Se você acha que não consegue perder peso, então enfrente isso! Melhore a sua alimentação e rotina de exercícios físicos e verifique se funcionou. Muito provavelmente vai verificar que afinal é possível, que tem vindo a você acreditar em algo que era falso.
Não se detenha devido às sua crenças limitadoras, refute-as. Faça coisas para provar o contrário. As crenças limitadoras normalmente baseiam-se em suposições que você nunca contestou e nunca tentou desmistificar através da prática. Vale a pena sair da sua zona de conforto, enfrentar alguns receios e sentir o sabor de ser bem sucedido. Mas antes certifique-se que trabalhou na sua mentalidade. Certifique-se que abandonou as crenças que repetidamente têm empurrado você para o fracasso. Identificar exatamente o que está no seu caminho é o primeiro passo para deixar para trás os obstáculos que o impedem de chegar onde pretende. Se sente que vale a pena por à prova algumas das suas crenças limitadoras, leia o artigo: Mude as suas crenças, evolua a sua mente.
Abraço
Consultas Psicologia Online

Autor: Miguel Lucas

Blog do Autor | Artigos do Autor: Miguel Lucas Licenciado em Psicologia, exerce em clínica privada. É também preparador mental de atletas e equipas desportivas, treinador de atletismo e formador na área do rendimento desportivo. É autor da Escola Psicologia.